Tag

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Benefícios do contrato de Suporte Técnico em ERP


O serviço de Suporte Técnico prestado pela Cybersul é responsável por auxiliar os usuários do sistema de gestão na aprendizagem do software antes e depois da entrada em operação do ERP dentro da empresa contratante. 
Na fase de implantação, a iniciativa dos usuários no manuseio dos sistemas e no contato dos mesmos com os analistas de suporte é essencial para uma implantação bem sucedida e produtividade elevada dos processos atendidos pelo software, assim como, a geração de retorno financeiro esperado do projeto.
Na fase de pós-implantação, o serviço prestado pela equipe de suporte técnico da Cybersul é ainda mais importante, pois além de apoiar os usuários no dia-a-dia da organização (esclarecendo dúvidas de funcionamento e ajudando nas demandas por novas configurações), a empresa ainda garante à instalação periódica de atualizações do sistema de gestão, em especial daquelas ligadas a alterações de legislação. 
Ao firmar o contrato de suporte técnico com a Cybersul, o cliente tem direito a receber estas atualizações de software sem custos adicionais. Ainda é adequado ressaltar que nos tempos atuais - em que o cumprimento de obrigações legais como Nota Fiscal Eletrônica e SPED são vitais para o funcionamento de qualquer empresa no Brasil - é extremamente importante garantir o acesso a estas atualizações do sistema de gestão dentro dos respectivos prazos.
O serviço de suporte técnico é um dos que recebe mais atenção na gestão do Grupo Cybersul e não é a toa que alcançou 98,8% de satisfação entre usuários de clientes no ano de 2018.

Grupo Cybersul



quarta-feira, 5 de junho de 2019

Preparado para atualização de NFe com CST 60 e CSOSN 500?





As alterações da nota técnica 2018-005 do SEFAZ para emissão de Nota Fiscal Eletrônica tem afetado muitas empresas e por isso é importante preparar-se para esta atualização, da qual a Cybersul já tem disponibilizado novas versões do ERP compatíveis com esta demanda.

Campos adicionados no ICMS

As atualizações mais importantes exigidas pelo SEFAZ nesta última nota técnica fazem relação com os novos campos adicionados no ICMS.

Para o Grupo de Tributação do ICMS com CST 60, ou seja, (ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária)  e para Grupo de Simples Nacional (CRT=1) e CSON 500 (ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária - substituído - ou por antecipação) foram adicionados os seguintes campos:

- vICMSSubstituto – Valor do ICMS Próprio do Substituto cobrado em operação anterior.

Já para o Grupo de Repasse do ICMS ST foram incluídos os campos:

- pST – Alíquota suportada pelo Consumidor Final. Deve ser informada a alíquota do cálculo do ICMS-ST, já incluso o FCP caso incida sobre a mercadoria. Exemplo: alíquota da mercadoria na venda ao consumidor final = 18% e 2% de FCP. A alíquota a ser informada no campo pST deve ser 20%;

- vICMSSubstituto – Valor do ICMS Próprio do Substituto cobrado em operação anterior;

- pRedBCEfet – Percentual de redução da base de cálculo efetiva. Refere-se ao percentual de redução, caso estivesse submetida ao regime comum de tributação, para obtenção da base de cálculo efetiva (vBCEfet);

- vBCEfet – Valor da base de cálculo efetiva. Refere-se ao valor da base de cálculo que seria atribuída à operação própria do contribuinte substituído, caso estivesse submetida ao regime comum de tributação, obtida pelo produto do Vprod por (1- pRedBCEfet);

- pICMSEfet – Alíquota do ICMS efetiva. Refere-se à alíquota do ICMS na operação a consumidor final, caso estivesse submetida ao regime comum de tributação;

- vICMSEfet – Valor do ICMS efetivo. Obtido pelo produto do valor do campo pICMSEfet pelo valor do campo vBCEfet, caso estivesse submetida ao regime comum de tributação.

Regras de Validação

A nova versão da norma também alterou a regra de validação que verifica se foi ou não informado campos de ST retido, resultando na seguinte mensagem:
- Rejeição 938: Não informada vBCSTRet, pST, vICMSSubstituto e vICMSSTRet [nItem: 999]

Para resolver a rejeição 938, deve-se preencher os campos vBCSTRet, pST, vICMSSubstituto e vICMSSTRet.

Entretanto, para preencher esses campos, é necessário observar se os valores recebidos na nota do fornecedor (nota de entrada) foram informados de forma adequada. Importante: se a empresa está vendendo dois produtos, A e B, cada um adquirido de um fornecedor diferente, deve-se identificar em sua respectiva nota (no grupo de ICMS do item) os valores de cada um deles. 

Abaixo é exposto um exemplo de XML de uma nota de entrada e qual sua correspondência com os campos que devem ser preenchidos na nota de saída:

<ICMS>
   <ICMS10>
      <orig>0</orig>
      <CST>10</CST>
      <modBC>3</modBC>
      <vBC>814.80</vBC>
      <pICMS>18.00</pICMS> ===> pST
      <vICMS>146.66</vICMS> ===> vICMSSubstituto
      <modBCST>4</modBC>
      <vBCST>150.80</vBC> ===> vBCSTRet
      <pICMSST>18.00</pICMS>
      <vICMSST>27.00</vICMS> ===> vICMSSTRet 
    </ICMS10>
</ICMS>

Observação: caso exista FCP na nota do fornecedor, deve-se somar o valor do campo pFCP com o valor do campo pICMS para informar no campo pST.

Quando for emitida uma NF-e (modelo 55) com produto tributado pelo ICMS 60 ou CSOSN 500, haverá a rejeição "938 - Não informada"  caso a operação 'NÃO' seja para consumidor final (tag: indFinal=0, Normal) e caso não forem informados os campos abaixo:
- Base de Cálculo ICMS Retido na operação anterior (tag: vBCSTRet)
- Alíquota suportada pelo Consumidor Final (tag: pST)
- Valor do ICMS próprio do Substituto (tag: vICMSSubstituto) 
- Valor do ICMS ST Retido na operação anterior (tag: vICMSSTRet)

Exceções e Observações

Para essa regra de validação não há exceções. Sempre que emitir-se uma NF-e para operações que não sejam para consumidor final e que seja informado CST 60 ou CSOSN será obrigatório o preenchimento dos campos vBCSTRet, pST, vICMSSubstituto e vICMSSTRet.

Mais informações em:
http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/exibirArquivo.aspx?conteudo=KgqR7PT4Vv4=

Suporte Técnico
Cybersul Softwares de Gestão

terça-feira, 28 de maio de 2019

Aumentam os Ataques digitais à Empresas em 2019




Uma pesquisa recente sobre ameaças digitais apontou aumento dos ataques de Ramsonware em empresas. O levantamento é da Malwarebytes. Os dados revelam crescimento de 200% entre o primeiro trimestre de 2019 em comparação com o último de 2018.

Ransomware é um tipo de software nocivo que restringe o acesso ao sistema infectado com uma espécie de bloqueio e cobra um resgate em criptomoedas para que o acesso possa ser restabelecido. 

Segundo a agência BetaNews, o diretor do Malwarebytes Labs, Adam Kujawa, disse que os criminosos estão focando menos no consumidor e mais em empresas. Algo considerado raro pela companhia.

A Cybersul também percebeu através da área de suporte o crescimento de incidentes de roubo de dados entre seus clientes, por isso tem reforçado a necessidade de manter os backups de banco de dados e arquivos de configuração do sistema permanentemente atualizados.

Fique atento e mantenha suas cópias de segurança atualizadas!

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Cresce a demanda de E-commerce integrado ao ERP da Cybersul


Em 2019 completou-se 5 anos desde o primeiro projeto implantado de software de gestão integrado com loja virtual, tendo ambas soluções fornecidas pelo Grupo Cybersul.

Neste ano também chamou a atenção o número de novos projetos de e-commerce integrado, tanto de novos clientes, quanto de clientes que já eram usuários de ERP da Cybersul.

Através da produtora web do Grupo Cybersul, são fornecidas lojas virtuais em diferentes modalidades: 
- E-commerce Express (uma plataforma básica, ideal para empresas que estão começando a vender pela internet);
- E-commerce Padrão (plataforma com mais recursos de forma de pagamento e fretes);
- E-commerce Personalizado (projetos desenvolvidos conforme a demanda do contratante).

Além disso, a empresa contratante também pode optar pela forma de hospedagem que melhor atender suas necessidades e disponibilidade de orçamento. 

Em geral, as empresas tem optado por uma hospedagem total do ERP e do e-commerce em servidores na nuvem (locado em provedores) ou pela hospedagem apenas do site (loja virtual) em servidores terceiros. No primeiro caso a integração é online, já que ambas soluções utilizam o mesmo banco de dados. Na segunda solução a integração é feita em lotes, de forma automatizada via API.

Sua empresa quer vender pela internet? Sua empresa quer um e-commerce integrado ao software de gestão?

Entre em contato agora pelo e-mail contato@cybersul.net e saiba mais!

Grupo Cybersul

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Atualização do SPED ECD: o prazo de entrega está encerrando!



Está disponível a nova versão do gerador do SPED ECD, compatibilizado com o Leiaute 7, período a partir do Ano-Calendário 2018, seguindo o manual ato Declaratório Cofis nº 83/2018.

Para as empresas que geram o SPED ECD com o sistema da Cybersul será necessário entrar em contato com o suporte técnico solicitando a atualização do gerador. 

Recomenda-se que os fechamentos contábeis sejam realizados o mais breve possível para a entrega do arquivo dentro do período, evitando multas ou notificações.

Prazos para Apresentação dos Livros Digitais

O prazo foi fixado pelo art. 5o da Instrução Normativa no 1.774/2017, reproduzido abaixo:

Art. 5º A ECD deverá ser transmitida, pelas pessoas jurídicas obrigadas a adotá-la, ao Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, e será considerada válida após a confirmação de recebimento do arquivo que a contém.

§1º A ECD será transmitida ao Sped até o último dia útil do mês de maio do ano seguinte ao ano-calendário a que se refira a escrituração.

§ 2º O prazo para entrega da ECD será encerrado às 23h59min59s (vinte e três horas, cinquenta e nove minutos e cinquenta e nove segundos), horário de Brasília, do dia fixado para entrega da escrituração.

§ 3º Nos casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação, a ECD deverá ser entregue pelas pessoas jurídicas extintas, cindidas, fusionadas, incorporadas e incorporadoras até o último dia útil do mês subsequente ao do evento.

§ 4º Nos casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação ocorridas de janeiro a abril, o prazo de que trata o § 3º será até o último dia útil do mês de maio do ano de ocorrência.

§ 5º A obrigatoriedade de entrega da ECD, na forma prevista no § 3º, não se aplica à incorporadora, nos casos em que as pessoas jurídicas, incorporadora e incorporada, estejam sob o mesmo controle societário desde o ano-calendário anterior ao do evento.